Blog Details Title

O mercado prateado: a experiência como diferencial dentro de um ambiente de negócios em transformação

Gostaria de começar esse artigo com uma reflexão e lhe propor a seguinte pergunta: o que você espera para o futuro do ambiente de negócios brasileiro? 

Ponderando sobre o tema, é interessante perceber que, atualmente, quando falamos do mercado de trabalho, muitas organizações reforçam a importância da diversidade na formação de equipes vencedoras. 

Mas, um ponto que nem sempre é lembrado quando falamos da inclusão de talentos com diferentes perfis e visões de mundo nas empresas envolve a inserção de profissionais mais experientes; de pessoas que, na casa dos seus 45, 50 e 60+, teriam um vasto background que – não tenho dúvidas – só acrescentariam para os resultados de uma companhia e para a formação de uma cultura ainda mais diversa; com a convivência de gerações que, juntas, se complementariam em prol dos objetivos de um negócio e da realização em suas respectivas carreiras.

A verdade é que o mercado de trabalho, por muito tempo, foi um ambiente bastante adverso para os profissionais acima de 45 anos que, após supostamente cumprirem sua cota de contribuição nas empresas, estariam ultrapassados e acabavam tendo de recolocar em segmentos, muitas vezes, distantes daqueles onde poderiam contribuir com mais excelência. 

Mas a boa notícia é que este cenário está mudando. E muitos já falam de uma revolução prateada. Mas você sabe do que se trata a economia prateada e como estes profissionais têm sido cruciais dentro do processo de transformação do mercado?

Analisando dados sobre a ‘economia prateada’

Antes de mais nada, é interessante definirmos, brevemente, do que se trata a chamada economia ou mercado prateado. De modo bem objetivo, estamos falando dos produtos e serviços direcionados para a geração “baby boomer” (nascidos até 1964) e que, portanto, são cidadãos com 50+, com muito potencial de consumo e – ao contrário do que ideias pré-concebidas poderiam supor – muito interesse em usufruir da inovação, tecnologia e das mudanças positivas que surgem na sociedade.

Podemos ampliar um pouco este conceito para o mercado de trabalho e, neste sentido, pensar também em profissionais acima de 40, 45 anos que, a bem da verdade, já começam a enfrentar dificuldades de inclusão no mercado de trabalho – sobretudo quando pensamos em vagas que levem em conta seus skills e são remuneradas de acordo com seu potencial de entrega.

Mas, como disse acima, este cenário está começando a mudar. Muitas empresas e startups, em consonância com diversos dados de mercado, estão se atentando para o quanto essa camada de profissionais pode ser decisiva para os seus resultados e trazer novas perspectivas, em termos culturais, para os seus ecossistemas.

Antes de entrarmos nos mitos que estão sendo quebrados por algumas destas empresas que estão liderando a transformação de um ambiente de negócios que terá como regra – e não como exceção – a diversidade de gerações em seus quadros, vale a pena analisarmos alguns dados sobre a economia prateada:

Segundo o IBGE, hoje o Brasil já possui 54 milhões de pessoas com 50 anos ou mais (até 2030, teremos o equivalente a 31% da população dentro desta faixa etária);

O potencial de mercado desses consumidores está na casa de R$ 1,6 trilhão/ano;

Dois terços da população acima de 50 está insatisfeita com suas finanças – fator que pode ser mais uma motivação para inserção no mercado;

Cerca de 10% das empresas do país já conta com programas de contratação para profissionais acima de 50 anos;

O número de profissionais com mais de 60 anos cresceu 37% na última década no país.

Quebrando mitos

E um dos principais mitos errôneos sobre a população de profissionais da economia prateada envolve o fato de que seriam trabalhadores distantes do conceito de inovação ou que teriam pouco acrescentar em termos de novas ideias, insights sobre os desafios enfrentados pelo mercado contemporâneo.

Este é um ponto que não poderia estar mais distante da realidade. Um estudo recente aponta, por exemplo, que 1/4 das startups e empresas mais inovadoras têm como líderes profissionais acima de 45 anos – e os dados vão além, apontando que são as empresas que contam com os profissionais mais experientes aquelas que contam com os melhores resultados em termos de crescimento. 

A valorização da experiência

Dentro de todo este contexto, neste momento em que discutimos a diversidade no mercado de trabalho, é chegada a hora de promovermos também a inclusão geracional em todos os segmentos econômicos do país. 

É chegada a hora de valorizarmos a experiência que pode ser um fator decisivo para que uma companhia ganhe diferenciais competitivos e construa – dentro de um ambiente com pessoas de diferentes backgrounds, skills e culturas – diferenciais competitivos que a guiem para o sucesso! 

Gerando oportunidades e transformando o mercado

Na Loara, nós acreditamos na geração de oportunidades para todos, incluindo profissionais de diferentes gerações que, juntos, podem nos auxiliar na construção de um sonho – a disrupção do mercado de crédito empresarial brasileiro. 

Em nosso time, valorizamos a contratação de especialistas experientes, sobretudo de profissionais vindos do sistema bancário e financeiro, com skills que podem nos apoiar na construção de soluções ainda mais inovadoras e inteligentes, pensados para contribuir com a saúde financeira e sucesso das empresas que buscam no crédito, um caminho para a superação de desafios. 

Se você tem interesse em fazer parte deste sonho, entre em contato conosco e se informe sobre as oportunidades que iremos disponibilizar ao longo do ano.

E, acima de tudo, tenha em mente: o mercado está mudando e você é decisivo para esta transformação!

Leave a comment